Om Mani Padme Hung


Benefícios e qualidades do Mantra das Seis Sílabas
por Penor Rinpoche
 
Actualmente, estamos na era final  do dharma, onde as pessoas têm sabedoria, fé e diligência limitadas. Assim, é necessário perseverar diligentemente na prática do dharma. Uma prática que cumpre essa necessidade é recitar o mantra de seis sílabas mani durante a visualização através da devoção una com o guru que não é diferente de Chenrezig. As seis sílabas do mantra Mani são muito fáceis de recitar e englobam o significado essencial de todos os ensinamentos de Buda. É o coração, a essência de Chenrezig (ou Avalokiteshvara) e traz bênçãos infinitas. Se alguém o tornar a sua prática principal, então todos os seres humanos, seres celestiais e até mesmo os fantasmas nocivos irão abençoá-lo com benevolência e terá uma vida longa sem qualquer doença ou calamidade. Na próxima vida, irá renascer na montanha de Potala ou na Terra Pura de Amitabha, ou pelo menos, terá renascimento numa terra onde o Buddha-dharma é florescente. Isto é porque a essência do mantra de Chenrezig está imbuído com as bênçãos ilimitadas, bondade e compaixão de todos os Budas.
Um sutra, menciona: "Se alguém recitar este mantra, inumeráveis ​​Budas e Bodhisattvas, deuses, dragões e seres das oito classes congregar-se-aõ onde este habita e haverá infinitas portas do dharma para o samadhi. Sete gerações da família de quem recita (este mantra) serão libertos. Os vermes (ou seres sencientes) do seu estômago atingirão os níveis do caminho do Bodhisattva. Tal pessoa (que recita o mantra) aperfeiçoará os Paramitas diariamente, terá uma desimpedida eloquência e purificará o seu agregado da sabedoria. Sempre que a sua respiração tocar noutros corpos, fará com que esses atinjam patamares no caminho do Bodhisattva  ...

Avalokiteshvara
Instruções essenciais pelo Venerable Yangthang Rinpoche

A essência da mente de todos os Buddhas e Bodhisattvas é o bodhichitta, a mente desperta. Quando este bodhichitta assume uma forma, ela aparece como Chenrezig, Avalokitesvara.
Sempre que praticamos Avalokiteshvara, o aspecto mais importante é a prática de geração e o desenvolvimento do bodhichitta, que é a experiência de compaixão que Avalokiteshvara tem para com todos os seres sencientes. Então, se nós também gerarmos essa mesma compaixão, essa mesma mente desperta, será muito fácil para nós para realizar Avalokiteshvara, porque a essência de Avalokiteshvara é o bodhichitta. Assim, as bênçãos e os resultados serão muito rápidos.
Avalokiteshvara tem muitas e diferentes emanações com muitos nomes diferentes, mas essencialmente são uma única essência, que é o bodhichitta, a natureza da mente de todos os Buddhas. Ele aparece numa manifestação pacífica, numa manifestação crescente, e numa manifestação irada. Avalokiteshvara aparece em diferentes cores, às vezes branco, às vezes vermelho. Às vezes, aparece com mil olhos e mil braços, às vezes com uma cabeça e quatro braços, às vezes com uma cabeça e dois braços, e muitas vezes segurando diferentes tipos de implementos na mão. Ele é muitas vezes referido como "Thugje Chenpo", que significa "O da Grande Compaixão." Assim denominado porque considera-se que ele é a própria força da compaixão de todos os Buddhas e Bodhisattvas, a corporificação do poder dessa compaixão. Ele também é chamado de "Chenrezig", que significa "aquele que vê todos os seres sencientes igual e simultaneamente e está sempre ciente deles e das suas necessidades."
A sua consideração pelos seres sencientes é abrangente e constante. Ele é também por vezes referido como "Jigten Wangchuk" porque, até que os três reinos da existência cíclica sejam esvaziados nas suas profundezas, por causa de sua actividade, ele aparecerá em todas as formas e de qualquer maneira. Ele emanar-se-á completa e penetrantemente para fazer ligações e libertar os seres sencientes através dos três reinos. Assim, ele é chamado de "O que tem poder sobre o mundo." Esses diferentes nomes referem-se a uma divindade, Avalokiteshvara. Eles são apenas nomes diferentes para diferentes emanações da mesma essência única.
Para explicá-lo do ponto de vista dos Três Kayas, na natureza do Dharmakaya, Avalokiteshvara é o Buddha Amitabha, no Sambhogakaya ele é Nam Nang Den e no Nirmanakya ele é Chenrezig, que aparece tanto pacífico como irado. Na expressão pacífica aparece com mil braços e mil olhos, ou com uma cabeça e quatro braços. Na expressão irada ele aparece como Hayagriva. A expressão irada é simplesmente uma expressão intensa da compaixão absoluta que é necessária para domar as mentes dos seres, que não podem ser domadas, através de métodos pacíficos. Hayagriva também aparece em muitas emanações diferentes, às vezes com nove cabeças e dezoito braços, às vezes com três cabeças e seis braços, às vezes com uma cabeça e dois braços, às vezes de cor vermelha, às vezes preto. Quando Avalokiteshvara aparece como o protector, o Dharmapala, ele é o protector de sabedoria primordial Mahakala com seis braços. Quando ele aparece como uma divindade da riqueza, ele é o Dzambhala branco.
Todas estas expressões são diferentes métodos, sendo a expressão de compaixão da mente, que se manifesta para realizar as necessidades e os afins de todos os seres sencientes. E porque os seres sencientes são inúmeros e diferentes uns dos outros, muitos e incontáveis métodos são necessários. Na verdade, há tantos métodos que se eu fosse a explicá-los a todos o tempo escoar-se-ia antes que eu pudesse terminar e todos vocês iriam tornar-se bastante cansados. Em suma, o número de manifestações desta divindade é inconcebível, mas todos eles são, nada mais, nada menos, do que a mente de compaixão, a expressão do Grande Bodhichitta.
Portanto, podemos dizer que, num certo sentido, mais do que realizar qualquer outra divindade, realizar Avalokiteshvara é suficiente, porque Avalokiteshvara é a essência da mente de todos os Buddhas e, portanto, a essência de todas as deidades. Além disso, Avalokiteshvara é bastante fácil de realizar. É ensinado que, se a pessoa pratica Avalokiteshvara muito bem, por seis meses sem interrupção, então terá certamente um sinal de realização. Não existe nenhuma forma de não obter um sinal de realização. Isto significa que cada um terá uma visão directa de Chenrezig ou algum outro sinal de realização. Além disso, é muito fácil de recitar o Mantra "OM MANI PEME HUNG." Este surge naturalmente para todos. Buddha Shakyamuni disse que de todas as diferentes recitações, não há maior benefício a ser obtido a partir de qualquer recitação, do que a recitação do "OM MANI PEME HUNG", o Mantra Mani. De todas as práticas que são baseadas em recitação, este é o mais poderoso, o mais benéfico. Para realizar qualquer meditação de outra deidade temos que saber como realizar a etapa de geração e a etapa de completação, devemos saber como realizar o sadhana correctamente, devemos saber como praticar a prática toda, devemos saber como construir o Mandala, e devemos saber muitas outras coisas, que podem realmente ser bastante difíceis e complicadas, só para realizar a deidade. Mas a realização de Avalokiteshvara é completamente diferente em que nada disso é necessário.
Houve uma lama no leste do Tibete, que era conhecido como o "Mani Lama" porque a única prática que fez foi Avalokiteshvara. Ele disse que, mesmo quando se está a experimentar o desejo, ou qualquer um dos outros venenos, como o ciúme ou a agressão, quando a negatividade surge na mente, pode-se ainda praticar Avalokiteshvara e recitar "OM MANI PEME HUNG". Em outras palavras, não se deve colocar de lado a prática, transformar o veneno ou fazer qualquer outra coisa, porque a própria prática simplesmente elimina as emoções conflituosas. Isso ocorre porque as seis sílabas do Mantra Mani têm o poder de eliminar as seis emoções conflituosas, que são a falta de consciência (delusão), o orgulho, a agressão, apego, inveja e avareza. As seis sílabas também têm o poder específico de fechar a porta para o renascimento nos seis reinos da existência, porque todos os seres sencientes dos seis reinos, sem excepção, têm no seu corpo seis sílabas que correspondem ao renascimento nos seis reinos. A causa de vaguear na existência cíclica é devido à condição da presença dessas seis sílabas.
Quando recitamos "OM MANI PEME HUNG", as seis sílabas de Avalokiteshvara, é importante entender que eles têm o poder de subjugar e eliminar as seis sílabas samsáricas ordinárias e assim, obstruir ou fechar as portas ao renascimento nas seis classes. Este é um dos poderes específicos do Mantra Mani. Além disso, nesta mesma vida, simplesmente recitando "OM MANI PEME HUNG" irá eliminar a doença, e a possessão por forças demoníacas. Recitando o mantra tornar-nos-á felizes e pacíficos, dotados de poder meditativo e desenvolverá profundos níveis de absorção meditativa nesta vida e nas vidas futuras. No momento da morte não renasceremos nos três reinos inferiores e em vez disso, renasceremos em Dewachen, a Terra Pura da Grande Felicidade, ou no próprio reino de Avalokiteshvara, no puro Riwo Potala, e aí gradualmente atingiremos o estado de Buddha. Até esse momento as bênçãos e o poder da sua prática não serão exauridos e perdurarão até atingirem o resultado, a Iluminação.
Avalokiteshvara é verdadeiramente diferente de qualquer outra divindade. Muitas pessoas são atraídas para as deidades iradas, como Vajrakilaya, Hayagriva, Guru Dragpo, e assim por diante, e querem realizá-las mas, a menos que se saiba muito bem e exactamente como praticar o estágio da geração e completação, das práticas tântricas internas das deidades iradas, é muito difícil de realizá-las. Avalokiteshvara, no entanto, é muito simples de realizar, e o Mantra Mani é muito fácil de recitar. Portanto, mantenham isto em mente.
Há muitos que pensam que a prática Avalokiteshvara e o Mantra Mani são apenas para pessoas simples, crianças e idosos, e não para os verdadeiros praticantes e estudiosos. Esta atitude é baseada na ignorância e é absolutamente equivocada. Na verdade, de todas as divindades, Avalokiteshvara é a divindade principal e a mais importante. Isso é verdade hoje e era verdade no passado, durante o tempo dos grandes Panditas e Mahasiddhas da Índia, quase todos eles alcançaram sua realização através da prática de Avalokiteshvara. Cada um deles, sem excepção, teve visões de Avalokiteshvara, e foi através dessas visões que receberam suas conquistas espirituais e realizações. E no Tibete, especialmente, todos os Grandes Mestres tiveram a mais forte ligação á prática de Avalokiteshvara. Eles tinham visões de Avalokiteshvara, a eles, foram directamente dadas prédicas proféticas de Avalokiteshvara, e foi através Avalokiteshvara que alcançaram realizações espirituais.
As bênçãos de realizar Avalokiteshvara são extremamente grandes. Não tenho nenhuma dúvida sobre isso. Recitar até mesmo e apenas uma ronda do Mantra Mani é de grande benefício, um benefício inconcebível. Orar a Avalokiteshvara das profundezas do coração e recitar o mantra é realmente uma prática muito profunda em si mesmo. Se orares a Avalokiteshvara regularmente, e recitares o Mantra das Seis Sílabas, tanto quanto podes, é absolutamente certo que, quando passares desta vida não vais tomar renascimento nos reinos inferiores. Então, considera tudo isto e incorpora a prática na tua vida.
Deverias ver todas as aparências como a forma de Avalokiteshvara, deverias ouvir todos os sons como a fala de Avalokiteshvara, que é o Mantra das Seis Sílabas, e deverias considerar que todos os pensamentos que surgem são a mente de Avalokiteshvara. Deverias ter compaixão e bondade amorosa para com todos os seres vivos sem excepção, desde o menor insecto até ao maior ser, porque todos estes, tal como tu, desejam ser felizes e desejam experimentar o prazer transcendental. Nem um único ser deseja sofrer. Portanto, é importante ter sempre bondade para todos os seres sencientes, manter o tríplice estado de consciência pura, e recitar "OM MANI PEME HUNG" tanto quanto possível.

Amogapasha Chenrezig
por Orgyen Kusum Lingpa

Amogapasha (Skt) ou Donyod Shakpa (Tib) é uma forma de Chenrezig / Avalokitesvara de quatro braços, que tem sido praticada por todo o mundo Budista há mais de mil anos. Amogapasha representa uma forma altamente activa de energia compassiva emanada para resgatar os seres da experiência de estados muito negativos e destrutivo .
O Grande mestre dos  tesouros do nosso tempo, Sua Santidade Orgyen Kusum Lingpa, cuja intenção iluminada e actividade foram além da nossa capacidade de compreensão, revelou uma série de práticas desta divindade que recebeu pessoalmente, numa sua vida passada enquanto Lalung Paldor, o discípulo do coração do Guru Rinpoche, incluindo rituais especiais para os falecidos e práticas meditativas de sadhana diária de diferentes extensões  ...